Home | Artigos | Notas & Novidades


    ARTIGOS

Preparo de ligas metálicas para fundir projéteis

por Roberto de Barros Pimentel

Quando o atirador se propõe a fundir seus projéteis, deve de preferência, adquirir a liga metálica de firmas idôneas, com certificado de análise, afim de que a esta esteja exatamente dentro das especificações formuladas. Porém muitas vezes, até por economia, o atirador prefere ele mesmo fazer a sua liga metálica, deparando-se com inúmeros problemas que a princípio parecem insolúveis, mas que podem ser resolvidos desde que o atirador possua em sua bancada de recarga alguns equipamentos simples para auxiliá-lo a preparar sua própria liga metálica.


Suponhamos que você tenha feito um negócio da China, comprando um lote de chumbo e linotipo a um preço irrisório, e agora vá preparar sua própria liga metálica. Ao se efetuar a compra de chumbo em depósitos de sucata, deve-se evitar a aquisição de sucatas de baterias automotivas, as quais são péssimas fontes de chumbo, pelo elevado teor de impurezas e pela quantidade de agentes tóxicos em sua composição.


O primeiro passo escolher o local para poder derreter o chumbo, local este que deverá ser ventilado e protegido de respingos de água. Primeiramente vamos aquecer o chumbo, até que este derreta, removendo as impurezas da superfície com uma escumadeira, de preferência de aço inox. A seguir, vamos adicionar pó de serra ou serragem de madeira, a qual irá se transformar em carvão vegetal após o contato com o chumbo derretido, tomando-se o cuidado de fazê-lo lentamente, para se evitar um choque térmico. Esta operação tem a finalidade de se remover as demais impurezas do chumbo, atuando o carvão como fluxo; liberando também o óxido de chumbo ( PbO2) , o qual se dissociará em gás carbônico ( CO2) e chumbo puro ( Pb).
Com a escumadeira, vamos agitar lentamente o chumbo derretido, ocasião em que iremos notar que começam a aflorar outras impurezas, as quais deverão ser removidas pelo processo anterior. Após a purificação do chumbo e do linotipo, o passo seguinte será saber qual é a quantidade de linotipo que vai ser adicionada ao chumbo, a fim de que se tenha a liga adequada às nossas necessidades, pois não sabemos qual é o teor de estanho e antimônio, existente no chumbo que foi purificado.


Especial cuidado deve ser tido na padronização destas quantidades, haja vista que existem diversas composições para o linotipo.
Apenas para exemplo, cabe mostrar que o chamado linotipo utilizado nos jornais é cerca de 5% mais pesado do que o material utilizado para a fabricação de tipos nas gráficas, havendo portanto variação expressiva no teor de estanho e antimônio.
Para se fazer o ajuste ideal, será necessário a utilização de uma balança de precisão, bem como de um molde de fundição, preferivelmente com um projétil de peso elevado, com o peso previamente determinado numa liga convencional. A razão da utilização de um molde com projéteis pesados, é que se poderá efetuar o ajuste do teor de linotipo a ser adicionado, com maior precisão, pois uma diferença de peso de 1 grain num projétil mais pesado, proporcionalmente é muito menor do que a diferença de 1 grain num projétil mais leve. Como exemplo podemos mostrar que a diferença de peso a maior de um grain num projétil de 450 grains corresponde a 0,23% do peso, ao passo que a diferença de 1 grain a maior num projétil de 141 grains corresponderá a 0,71%.


Com o chumbo já derretido, vamos adicionando aos poucos o linotipo, agitando a mistura, para perfeita homogeneização, fazendo uma fundição de projéteis após cada adição, e pesando os mesmo até chegarmos ao projétil com o peso definido previamente.
Devemos sempre nos lembrar, que quanto mais linotipo adicionarmos, mais duro e mais leve ficará o projétil fundido.
Terminando o ajuste de peso, a liga deverá ser lingoteada e armazenada em local seco e ventilado, a fim de se evitar a oxidação, bem como os riscos de uma contaminação da liga com água, que poderá nos dar sérios problemas na hora da fundição de nossos projéteis.

Roberto de Barros Pimentel é diretor da Shooter’s Supply, fabricante dos projéteis Buffalo Cast Bullets, possuindo em seu currículo diversos cursos de metalurgia no exterior, com reconhecimentos de editores internacionais de Revistas especializadas na Recarga de Munição. Também é Editor do GUN NEWS.