Home | Artigos | Notas & Novidades


    NOTAS & NOVIDADES

Posição Creedmore modificada

por José Joaquim D'Andrea Mathias


A técnica de tiro reclinado ou deitado foi inicialmente popularizado na Europa, mas ganhou notoriedade e especialização na América do Norte, como resultado da “sensação” causada durante uma competição nos estandes de Creedmore, Long Island - EUA. Nessa competição, ocorrida no final do século 19, os “caçadores das grandes planícies” puderam perceber que a técnica de tiro reclinado, apresentada por algumas equipes européias, poderia resultar em vantagem para disparos a longas distâncias, onde não fosse possível o suporte artificial da arma.


A posição Creedmore tradicional foi idealizada para armas longas, mas foi rapidamente adotada pelos atiradores de Silhuetas Metálicas, quando essa modalidade de Tiro esportivo começou a tomar forma nos anos 1970. Houve apenas alterações e aperfeiçoamentos para adequar a posição Creedmore para disparo com Armas curtas, sendo que a posição que atualmente se utiliza nas Silhuetas Metálicas pode ser chamada de “Creedmore modificada”. Posteriormente, novas variações da posição Creedmore foram sendo apresentadas, com destaque para a posição “bailarina” (serpentine nos EUA), onde o atirador tomba as duas pernas para o lado e a posição “sapo morto” (dead frog), com a arma apoiada sobre as pernas dobradas e cruzadas do Atirador.


Para adotar a posição Creedmore tradicional, basta o Atirador sentar-se de frente para os alvos, deitando-se em seguida procurando manter suas pernas quase que encobrindo a linha de os alvos. Os pés devem estar ligeiramente separados e os joelhos firmemente unidos, formando um triângulo, quando visto de frente. Em seguida, o Atirador empunha sua arma de forma a apoia-la na lateral da pena direita (Atirador destro), escorando o cotovelo no chão. Dessa forma consegue-se três pontos de apoio para o disparo: a arma encostada na lateral da perna, o punho do Atirador encaixado na parte superior da coxa e o cotovelo escorado no chão. É importante lembrar que nas posições “free style” nenhuma parte da arma pode encostar no chão ou receber um suporte artificial, ou seja, um apoio que não seja partes do corpo do próprio Atirador.


A cabeça do Atirador deve ser escorada pelo braço esquerdo de forma firme e confortável. Fazendo uso dos dedos ou punho da mão esquerda, o Atirador procura adequar a altura da sua cabeça de maneira a facilitar o alinhamento com alvos e aparelho de pontaria. Não deve existir um apoio de cabeça em tensão ou forçando os músculos do pescoço.


Quase todos que vêem alguém atirando na posição Creedmore pela primeira vez acham que é necessário conhecimentos de Yoga ou contorcionista para conseguir se colocar daquele jeito. Mas basta ver que mais de 80% dos Atiradores de Silhuetas Metálicas fazem uso da posição Creedmore para ter a confirmação de que esta é a mais estável e confortável posição de Tiro de precisão.


Seja qual for a posição Creedmore, ou sua variante, deve-se ter em mente que o Atirador estará com uma Arma curta muito próximo ao seu corpo. Assim, é necessário ter um constante controle no posicionamento dessa arma, tomando especial cuidado na área formada por um “cone” invisível de 45o formado a partir da boca da arma. Nenhuma parte do corpo do Atirador pode estar dentro deste “cone” invisível. Também deve-se proteger o corpo do Atirador do escape de gases que ocorre nos tambores dos revólveres e pelo “blast” produzido na boca das armas com menos de 10 polegadas de comprimento de cano.

Texto de divulgação das Silhuetas Metálicas